segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Um susto a valer!

Na sexta-feira passada apanhei um dos maiores sustos da minha vida. Era de noite, já bastante tarde e eue a Beatriz estavamos de volta dos preparativos para a festa dele. Eu estava sentada no sofá e ela ao meu lado de joelhos, nisto debruçasse para apanhar um balão, cai para a frente e bate com a cara na nossa mesa de vidro! Pequei logo nela, que começa a chorar e a deitar imenso sangue da boca. Levei-a para a casa de banho e pus água, mas o sangue continuava a correr, peguei na toalha e pu-la no lábios da Bé, mas o sangue não estancava, molhei a toalha e nada, pus água oxigenada e começou a deitar menos , sem nunca parar. Pensei em leva-la para o hospital, mas entretanto não chorava, mais sangue, toalha nos dois golpes que tinha na boca, chorava, tirava a toalha, tentava ver a profundidade dos golpes, mas mais sangue, não dava para perceber, dei-lhe uma colher de Brufen para atenuar-lhe as dores, pelo meio liguei para o meu marido e para os meus pais, que disseram que vinha imediatamente ter comigo. Não chorava, mais sangue, toalha para estancar, chorava, depois passava e eu sem saber se ia para o hospital ou não. Nisto perguntei-lhe:
-Esta a doer-te Beatriz?
Ao que me respondeu (sem choro, gritaria, aflição):
-Muito mamã.
Decidi logo que iamos para o hospital!(Como é possível uma criança de 3 anos, com dois golpes na boca e cheia de sangue, e de certo cheia de dores, ter esta força, esta coragem? como??)

Peguei nela, na mala, nas chaves e no robe e metemo-nos no elevador, já na garagem chega o meu irmão, senta-se no banco de trás com a Beatriz, arrancamos para o hospital, os meus pais atrás.

Assim que entro nas urgências do hospital, com a Beatriz ao colo e uma toalha cheia de sangue, o segurança corre para mim e encaminha-me para as urgência pediatricas, directamente para uma sala, dissendo apenas para alguém ficar a fazer a ficha da menina.

Nessa sala estava um médico que observou logo a Beatriz e que disse que provavelmente teria de levar pontos! Choque!! Entretanto o sangue já tinha estancado, tentavamos distraí-la com os bonecos nas paredes, o Gasparzinho entretannto chegou.

Chamaram para ela ser observada, só podia entrar uma pessoA com a Bé, foi com o pai ( eu sou muito cobardolas com isto de sangue e agulhas...). Sairam, tem de ir para a pequena cirurgia. Esperar que chamem. Chamaram, podemos entrar os dois. Percorremos um corredor enorme, disseram-nos para esperar que nos chamem. Chamaram, entramos numa sala tipo bloco operatório. Expliquei o que aconteceu, o médico disse para a sentarmos na marquesa, observou. Um ponto, vai precisar de levar um ponto! O Gasparzinho, com um discernimento incrível, perguntou se era mesmo necessário, se o golpe era tão fundo que fosse preciso coser, que ela já estava assustada e que se visse a agulha da anestesia e depois a de coser que era pior, se não lhe podiamos poupar a esse sofrimento, ao que o médico disse que sim, que o golpe não era assim tão fundo e que um penso-cola seria suficiente.

Disse para a deitarmos na marquesa e que ao colocar-lhe a cola ia arder um bocadinho. Deu o tubo da cola para as mãos da Beatriz, e disse-lhe que ia colocar-lhe cola do Noddy, se podia, e ela respondeu logo que sim. Eu de um lado e o Gasparzinho do outro da marquesa agarramos-lhe as mãozinhas enquanto médico lhe colocava a cola, mas a Bé nem pestanejou!

Disse também que onde a Beatriz bateu é uma zona muito sensível e daí ter deitado tanto sangue, pois os golpes nem foram muito profundos.

Recomendou que lhe pussemos gelo, disse para darmos Brufen e nada de lavar dentes, a cara só os olhinhos, e banho só do pescoço para baixo, para não haver o risco do shampoo ir para a boca, pelo menos durante 2 dias.

Viemos embora, antes de ir dormir ainda quis comer, no outro dia de manhã é que foi complicado para beber o leite (aliás, onte e hoje tambem foi, deve ser porque enquanto dorme a boca está horas sossegada e depois de manhã custa-lhe voltar a mexer, o que ao longo do dia passa), não conseguia no biberão, no copo, com a palhinha, só consegui beber num copo pequeno que veio com a cozinha de brincar dela.

Agora esta a sarar, e é capaz de ficar uma marquinha. Ás vezes diz que lhe doi ou que tem comichão, é muito cuidadosa a comer. No dia seguinte já saltava, brincava ria, e quis continuar a tratar da decoração da sua festa (que correu muito bem e foi muito gira, mas isso fica para outro post).

E eu hoje é que estou a descomprimir. Na sexta quando chegamos a casa ainda chorei, mas hoje não me sai da cabeça a imagem da minha filhinha a bater com a cara na mesa, e nas dores que deve ter tido. Cada vez que penso nisto da-me vontade de chorar, pudesse eu ficar com as dores dela.

Adenda: Tenho de tirar o chapéu ao Hospital Amadora-Sintra, pois não tinha nada boa impressão deste, e continuo a achar que a parte dos adultos, nomeadamente o internameto, que é péssima e continuo com má impressão, mas na parte das urgências pediatricas é excelente, o atendimento foi rápido e bastante eficaz, os médicos e enfermeiros são atenciosos, amavéis, muito profissionais e pacientes também.

11 comentários:

Maria José disse...

Aí amiga que coragem a tua menina e tu também se fosse eu acho que caía logo para o lado,
que susto mesmo.
As melhoras rápidas da princesa.
beijokas

Vânia e Mariana disse...

Imafgino o susto!!!Ainda bem que ela esta a recuperar bem!!!e ela é uma valente!!! :)
beijinhos,

Mafalda S. disse...

Meu Deus, só de ler arrepiei-me. Ainda bem que já está a recuperar. As melhoras para a menina tão corajosa!

Beijinhos

Nina disse...

Minha nossa, imagino com o coração nas mãos. Agora é a pequenina recuperar.... Jokinhas,

SONHADOR disse...

as rápidas melhoras.

beijos.

Mãe da Tiz disse...

Que grande susto! Felizmente correu td bem e a vossa menina foi uma valentona ;)

Mil beijos***

Velu disse...

Ao ler o teu post, revi-me quando o Ricardinho caiu e cortou a testa (7 pontos)no dia o meu sangue gelou, penso que não me corria sangue nas veias, mas depois de tudo passado chorei como uma Madalena,ao outro dia fui trabalhar e a imagem do meu menino cheio de sangue não me saia da cabeça.
Coração de Mãe...
Espero que a Bea melhore rápido!
Bjs grandes

Charlotte disse...

Que susto! Só de imaginar até me dói a barriga. Valente menina!

Bjos e rápidas melhoras!

Ana Costa disse...

Até tenho um nó na garganta... Tadinha...

Espero que esteja emlhor

Beijocas

Ana Guedes Nunes disse...

Que horror!!!! Coitadinha da Beatriz!!!
Imagino o susto que apanhaste, ainda para mais ter que a levar de carro sem a poder ter no colo, faço ideia...
É por isso que a mesa se centro lá em casa está encostada a um canto desde que ela começou a andar, nem quero pensar passar por um susto desses! (o maior que tive foi com uma moeda, já estava ficar roxa e a revirar os olhos, ía-me dando um enfarte...)
E ainda bem que o pai implorou para não a cozerem, quem é que quer ver a sua princesa a levar pontos na boquinha?!
A Bé é muito corajosa, elas são valentes e rijas, espero que já esteja a passar! ;)
Bjs grandes!

Mamã da Caroxinha disse...

Realmente nem imagino o susto, mas as crianças são suepreendentes!!!
A coragem dela! É de guerra a tua menina!
A boca sangra sempre muito é terrível mas felizmente escapou do ponto e ainda bem.
Tu é que deves ter andado doente uns dias e a descomprimir...
Espero que ela já esteja boa!
Bjokas